Qualidade & Segurança

e Política Ambiental

A Humana assume como principal missão ir de encontro às necessidades dos seus clientes, integrando os princípios da qualidade e ambiente na sua estratégia de desenvolvimento. Nesse intuito, compromete-se a: 


Cultura de Qualidade


O desenvolvimento da Cultura de Qualidade visa melhorar a competitividade, a eficácia e a flexibilidade da clinica através do planeamento, organização e compreensão de cada atividade, através do envolvimento de cada colaborador.


Cumprir os Requisitos Legais


Satisfazer os requisitos dos seus Clientes e Partes Interessadas, de modo a garantir a sua satisfação plena, cumprindo os requisitos legais, regulamentares e normativos bem como as obrigações de conformidade inerentes a cada uma das áreas.


Melhoria da Segurança

Melhorar as condições de segurança, quer das instalações, quer das atividades nelas desenvolvidas, implementando as medidas necessárias para a eliminação do risco para a saúde e segurança laboral.


Proteção do Meio Ambiente


Potenciar a proteção do meio ambiente, avaliando os aspetos ambientais decorrentes das suas atividades, com o intuito de evitar ou minimizar o impacto que possam causar no meio ambiente e promovendo o uso racional de recursos bem como a prevenção da poluição de forma a melhorar continuamente o seu desempenho ambiental.


Sensibilização e Formação


Promover a sensibilização e formação dos seus colaboradores para as suas funções, assegurando o desenvolvimento das suas competências e o seu envolvimento na obtenção dos resultados planeados no nosso Sistema de gestão da Qualidade e Ambiente.


Fornecedores e Prestadores

Selecionar fornecedores e prestadores de serviços de forma cuidadosa, com o intuito de os envolver na política de Qualidade e Ambiente e na adoção dos princípios pelo qual a Humana se rege.


Compromisso com o Cliente

Respeitar e cumprir as regras de ética profissional e de cordialidade no contacto e tratamento dos clientes através da adoção e cumprimento das Boas Práticas reconhecidas no setor, nomeadamente, a carta dos direitos e deveres do doente.


Melhoria Contínua

Melhorar de forma contínua a gestão dos processos internos promovendo a eficiência do modelo de gestão integrada dos Sistemas de Qualidade de Ambiente através da implementação e monitorização de objetivos e metas de Qualidade e Ambiente.

Carta dos Direitos e Deveres dos Doentes

Direitos

1. Direito à saúde sem discriminação.

2. Direito a receber cuidados apropriados ao seu estado de saúde: preventivos, curativos, de reabilitação ou terminais.

3. Direito à dignidade e a uma atitude apropriada por parte dos técnicos.

4. Direito à privacidade na prestação de todos os atos.

5. Direito ao sigilo e à proteção da vida privada.

6. Direito à livre escolha dos prestadores.

7. Direito à segunda opinião.

8. Direito à informação sobre o estado de saúde, prognóstico, alternativas de tratamento e custos aproximados.

9. Direito ao consentimento.

10. Direito à recusa de cuidados ou tratamentos.

11. Direito a receber cuidados continuados.

12. Direito ao respeito pelo tempo do paciente.

13. Direito a não sofrer dor ou sofrimento desnecessários.

14. Direito à segurança e compensação.

15. Direito a apresentar sugestões, queixas e reclamações.

Deveres

1. Dever de se abster de atitudes, comportamentos e hábitos que ponham em risco a sua própria saúde ou a de terceiros.
2. Dever de contribuir para a melhoria, ao seu alcance, das condições de saúde familiar e ambiental.
3. Dever de colaborar com os técnicos, nomeadamente respeitando as recomendações que são feitas e fornecendo todas as informações necessárias para a obtenção de um diagnóstico correto e um tratamento adequado.
4. Dever de respeitar os colaboradores e as regras de funcionamento da clínica, nomeadamente honrando as marcações das consultas e informando, tão cedo quanto possível, se estiver impossibilitado de comparecer.

5. Dever de respeitar os direitos dos outros utentes.

6. Dever de utilizar os serviços de saúde, suas instalações e equipamentos, de forma apropriada e responsável.

7. Dever de colaborar na redução de gastos desnecessários e comparticipar nos custos da saúde, de acordo com as suas possibilidades.

8. Dever de não pedir ou pressionar os técnicos para que forneçam documentos e informações que não correspondam à realidade dos factos.